hometopo  
homeartistacursosexposiçõesprodutosobrasarte sacracontato









 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veiculação eletrônica de informação não polui o meio ambiente e não gera desmatamento.

Adote esta idéia.


A crise da arte contemporânea

 

 

Se você deseja se atualizar sobre este tema, aconselhamos a seguinte bibliografia:

"Argumentação contra a morte da Arte", de Ferreira Gullar. Editora Revan.

O poeta Ferreira Gullar decidiu lançar uma bomba arrasa-quarteirão na arte contemporânea. Para ele, a morte da arte é como a morte da morte: não pode ocorrer. Mas que as insanidades que tomaram conta das galerias e bienais se esmeram em dar cabo dela, é fato - um fato que Gullar não agüenta mais.

Os artigos que compõem "Argumentação contra a morte da arte" foram escritos com pena da galhofa e à tinta da ira; reunidos, podem enfim reinaugurar a discussão de valores como "inovação" e premissas como a de Duchamp: "A função da arte é chocar".

Leia "GULLAR ENTERRA ARTE CONTEMPORÂNEA", de Daniel Piza.

"A vanguarda é que nem o terrorismo, ninguém pode botar o galho dentro. Na Bienal de São Paulo, qualquer bobagem tem que ser aceita, porque quem fala mal é visto como sendo de retaguarda”.

Entrevista com Ferreira Gullar

 

"Diferentemente das obras que apresentam a história da arte moderna, os textos do escritor e crítico Affonso Romano de Sant'Anna olham a arte dos últimos 150 anos não com o olhar saudoso e complacente, mas como um esforço para afastar o entulho e descortinar outros caminhos".

 

Do mesmo autor:
TUDO QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE O URINOL DE DUCHAMP E NINGUÉM NUNCA LHE CONTOU...


"Desconstruir Duchamps", de Affonso Romano de Sant´Anna.
Editora Vieira & Lent.

 


 




Affonso Romano de Sant’Anna analisa em 'O enigma vazio - impasses da arte e da crítica' os principais sofismas em que se baseia a arte conceitual e propõe uma episteme para reavaliação da arte do século XX.

O autor recorre à lingüística, à filosofia, à retórica e à análise literária para pôr a arte e a crítica no divã, analisando e, em alguns momentos, desconstruindo seus discursos e argumentos, apontando suas contradições e exageros.

 

O Enigma Vazio - Impasses da Arte e da Crítica, de Affonso Romano de Sant´Anna. Editora Rocco.

Entrevista de Affonso Romano de Sant´Anna à Luciano Trigo.

 

 

 

 

 

Publicado pela primeira vez em 1997, esta obra, que já está em em sua 5a. Edição, trata sobre a polêmica em torno do valor da arte contemporânea na França.

O autor colabora para uma tomada de consciência, ao propor a discussão das idéias e a análise das propostas contemporâneas.

O autor é membro do Instituto Universitário da França e professor de Filosofia na Universidade de Rouen. Foi diretor da Ensb-A de Paris, de 1989 a 1996.

 


Obra disponível em Francês, Editions Quadrige/Puf, Paris.

 

 

 

 

 

 

A GRANDE FEIRA - Uma reação ao vale-tudo na arte contemporânea
Luciano Trigo
Editora Civilização Brasileira
240 páginas, R$ 34,90

Em A grande feira, o jornalista Luciano Trigo faz uma crítica contundente à subordinação da figura do artista ao sistema mercadológico de arte.

O autor apresenta uma reflexão sobre a arte contemporânea e seus principais atores num mundo onde o público cada vez mais é influenciado por outros agentes, que acabam por conferir valores artificiais à obra de arte.

Saiba mais.

 

Entrevista com o autor no site da Globo.com

 

 

 

Sobre o mesmo tema:

"Je m´enfoutismo", de Sérgio Prata, Publicado no ALMANAQUE, do jornal ESTADO DO PARANÁ, página 21, Curitiba, 17 de novembro de 1992.

 

Coletiva de imprensa, com Sérgio Prata, 2009. O artista aborda, durante a longa entrevista, a crise da arte contemporânea, entre outros temas.

Entrevista editada: Nem tudo é Arte, nem todos são artistas, com Sérgio Prata, na revista Artigo 5.

A entrevista integral (antes dos cortes para a edição) também está disponível.

 

 

 

 

Scruton

 

 

 

UM POUCO DE HUMOR NÃO FAZ MAL À NINGUÉM:

Saiba como criar uma obra de Arte Contemporânea

Enciclopédia Atelier Prata - Tel fixo 55 11 4035-2057 - Cel vivo 55 11 99597-0275 - e-mail: artista@sergioprata.com.br